O futuro do seu filho depende do que ele come.

Ter hábitos saudáveis desde cedo faz muita diferença na qualidade de vida. Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, uma alimentação correta, em qualquer idade, favorece a prevenção de doenças e maior longevidade. Por isso, você tem uma participação especial nisso: preste sempre muita atenção ao que seus filhos comem e incentive o consumo de frutas, legumes e verduras.

É comum as crianças rejeitarem certas comidas. Nessas horas, sua criatividade tem que entrar no cardápio. Tente oferecer o mesmo alimento com outras combinações, em diferentes consistências ou mude a forma de preparo. Por exemplo: se seu filho não quiser comer cenoura cozida, quem sabe ele não gosta de outro jeito? Veja se ele prefere cenoura ralada ou faça um suco, batendo junto com laranja.

Mas se a criança realmente não gosta de um determinado alimento, obrigá-la a comer não é a solução. Procure substituir por outro. O mais importante é que ela tenha uma alimentação rica em nutrientes, em vez de encarar aquela comida que não gosta.

Confira algumas dicas:

Toda mãe já sabe: leite é fundamental

Rico em proteínas, vitaminas e minerais, principalmente cálcio, é perfeito para facilitar o consumo de frutas e cereais, batidos como vitaminas. O leite materno é recomendado como exclusivo até os seis meses e como complemento até os dois anos ou mais. Se seu filho demonstrar alergia ou intolerância à lactose, procure um pediatra.

Faça o que eu faço

A melhor educação é pelos exemplos. O ideal é você se alimentar com as crianças, comendo o mesmo que elas. Resumindo: sua alimentação também tem que ser saudável. Não dá para cobrar das crianças o que você não faz.

Rotina faz bem à saúde

Fazer as refeições nos mesmos horários todos os dias é fundamental para regular o metabolismo das crianças. Comer muito tarde pode dificultar o sono. Elas devem jantar pelo menos duas horas antes de dormir porque o organismo pode demorar a fazer a digestão.

Respeite o momento das refeições

A hora de comer merece uma atenção especial. Reúna todos da casa em locais calmos, silenciosos e, de preferência, longe de aparelhos eletrônicos. Refeições em família são importantes porque reforçam os laços e criam uma rotina alimentar.

Dieta? Passe antes no pediatra

Uma alimentação infantil saudável nem sempre significa dietas ou restrições. Procure orientação médica para saber a melhor forma de alimentar seu filho. Como as crianças estão em fase de crescimento, todo cuidado é bem-vindo.

É proibido proibir

Impedir as crianças de comer alguns alimentos não é o melhor caminho. Dá muito mais certo quando elas participam das escolhas também. Isso ajuda seu filho a se sentir responsável pela própria alimentação. Ofereça opções de coisas gostosas saudáveis e feitas em casa.

Mão na massa. Ou melhor, nos vegetais

Chame seu filho para preparar a refeição junto com você. O contato com os alimentos, principalmente legumes e verduras, é uma forma educativa e gostosa de passar um tempo juntos e incentivar hábitos saudáveis. Na hora de comer, ele vai querer provar aquilo que ajudou a fazer.

Quanto mais cores, melhor

Uma refeição com alimentos de muitas cores significa que a pessoa está ingerindo maior variedade de nutrientes. Um prato colorido, com diversos legumes, folhas e até frutas, favorece uma alimentação balanceada e rica em proteínas, vitaminas e minerais.